Franck Caldeira retoma disputas em pista após quase dez anos

Franck Caldeira retoma disputas em pista após quase dez anos

Por Franck Caldeira - em 04 jun - Sessão notícias - com Nenhum comentário

Fundista da Orcampi, campeão pan-americano da maratona e vencedor da São Silvestre, vai usar os 10.000 m do Troféu Brasil como preparação para os 42 km, desafio do 2º semestre

contrape

Campinas – O fundista Franck Caldeira está de volta às disputas dos 10.000 metros em pista depois de quase dez anos e vai correr a prova no Troféu Brasil de Atletismo, quinta-feira (6/6), a partir das 19 horas, no Ibirapuera, em São Paulo. Franck competirá pela Orcampi, equipe de Campinas, que entra na briga de equipes pelo pódio na mais importante competição de clubes do País. Será a segunda prova de pista de Franck este ano. O campeão pan-americano da maratona, nos Jogos do Rio/2007, e da São Silvestre, em 2006, usará as provas de pista como preparação para correr os 42km195m no segundo semestre, buscando melhorar seu tempo de 2h12min03.

Franck está motivado com a nova fase, em Campinas, trabalhando com Ricardo D’Angelo, seu técnico pessoal, o mesmo que acompanhou Vanderlei Cordeiro de Lima, medalhista olímpico de bronze na maratona, nos Jogos de Atenas/2004. “O Franck superou uma lesão da panturrilha esquerda e correu os 10 km em pista em 29min47, no Brasileiro de Fundo, após quase dez anos, tempo expressivo para quem está voltando. Agora, vai repetir os 10 km no Troféu Brasil, como parte da preparação para a maratona”, afirmou Ricardo D’Angelo.

Por que a opção pela Orcampi, em Campinas?
Franck - O trabalho tem sido maravilhoso e conseguimos resgatar coisas positivas. O esporte precisa de grandes nomes, de bons resultados. Estive em ascensão por um bom tempo e vejo o quanto necessitamos de trabalho em alto nível no Brasil e também de formação. Na Orcampi, o trabalho é esse, de buscar resultados e de unir forças para a formação, por meio do IVCL (Instituto Vanderlei Cordeiro de Lima) – eu, como todo o Brasil, admiro o Vanderlei, um grande ídolo. E admiro o trabalho do Ricardo, gosto dele como pessoa e técnico. Passei pelo Cruzeiro, em que fiquei cinco bons anos, com resultados. Mas enfrentei uma queda de rendimento e chegou a hora de acordar para eu fazer algo até 2016, deixar meu legado.

O que vem sendo positivo nesse seu novo trabalho?
Franck - Eu já consigo captar ganhos. Fixamos um foco e era disso que eu precisava, de apoio nessa trajetória técnica até 2016. A princípio, já conseguimos algo importante, que era ir aos Jogos Olímpicos de Londres, um resgate, algo para levantar o moral, voltar ao alto nível, reestruturar minha forma física.

Como você está para o troféu Brasil, para o restante da temporada?
Franck - Depois da Olimpíada, vieram algumas dores – tive de passar por uma readaptação, inserindo metas de treinamento, algo que eu não estava habituado a fazer… Sei que demora um pouco para colher os frutos, mas eu e o Ricardo conseguimos agilizar: me recuperei da lesão – fibrose na panturrilha esquerda – neste primeiro semestre e já voltei às pistas. Depois de nove anos, corri no Brasileiro de Fundo e foi bom estar com o Marílson, rever amigos, fazer de novo as 25 voltas… Fiz uma boa marca para duas semanas de treinos. E sei que vou correr melhor ainda no Troféu Brasil.

Mas o seu objetivo está na maratona?
Franck - Claro que o nosso objetivo não são os 10 mil metros. O objetivo está na maratona e o Troféu Brasil está inserido na preparação. Estou superfeliz com essa nova etapa e queria agradecer a Campinas – a cidade me acolheu de coração -, a patrocinadores como CPFL, Unimed, Nike, Pão de Açúcar e Nissan, e às pessoas que estão por trás disso. Pedir a torcida do público para a minha volta à maratona no segundo semestre.

Você é campeão da São Silvestre (2007), campeão pan-americano da maratona (Rio/2007), da Maratona de São Paulo (2004), bi da Meia Maratona do Rio (2006 e 2007) e tri da Volta da Pampulha (2003, 2006 e 2007). Qual a principal conquista para você, a que mais o marcou?
Franck - A conquista de que eu mais gostei, a que me emocionou e ao público também, a que mais me senti bem, foi a vitória no Pan do Rio – é bom porque vou voltar lá em 2016 (referindo-se aos Jogos Olímpicos). Foi uma surpresa. O favorito era o Vanderlei e tive de superar muitos obstáculos, tive muitas dificuldades no fim da prova. Mas gosto de correr no Rio e foi maravilhoso. Me trouxe muita coisa positiva… Um dos resultados que mais me marcaram. O outro foi o da São Silvestre, por causa da performance… Correr 44min05 na chuva, com tênis molhado. Mostrei para todo mundo, com minha marca, se tinha ou não queniano, que eu corri bem.

E o que fazer na maratona?
Franck – Quem sabe correr para 2h09min… Meu treinador já falou: “Quero ver você ter a mesma cabeça do Pan para correr, com o meu treino, uma maratona”. A briga pelos bons resultados é o que me impulsiona a estar de volta. Ainda estamos programando uma maratona para o segundo semestre, mas, seja qual for, quero correr bem.

A equipe de atletismo da Orcampi tem patrocínio de Unimed Campinas, CPFL Energia, 3M, Lei de Incentivo ao Esporte e Fundo de Investimentos Esportivo de Campinas.

Mais informações sobre a Orcampi e o Instituto Vanderlei Cordeiro de Lima (IVCL) em http://www.facebook.com/IVCL.ORCAMPI.

Siga a Contrapé no blog contrapedejornalismo.wordpress.com, no twitter: @contrape1 e no www.facebook.com/contrapedejornalismo

CONTRAPÉ DE JORNALISMO – Heleni Felippe (MTB 13.507) e Jane Dias (MTB 11.730); e-mails: heleni@contrape.com.br, jane@contrape.com.br – Tel: (11) 3871 3708, (11) 7802 7547 / id 640*20339 (Heleni) e 7802 7396 e id 640*2034 (Jane).

Deixar uma Resposta

Nome *

Site